Balanço Social e sua importância!

Mas o que é?

O Balanço Social é um conjunto de informações que demonstra as atividades de uma entidade privada com a sociedade a ela está diretamente relacionada!

 Entende-se por informações de natureza social e ambiental: a geração e a distribuição de riqueza; os recursos humanos; a interação da entidade com o ambiente externo e  a interação com o meio ambiente.

É um compromisso da responsabilidade para com a sociedade, por meio da prestação de contas do seu desempenho sobre o uso e a apropriação de recursos que originalmente não lhe pertenciam.  O Balanço Social é um mecanismo utilizado para a melhoria da imagem das organizações, além de dar transparência às suas atividades de forma a ampliar o diálogo entre elas e a sociedade. Serve também como ferramenta de gestão da responsabilidade social, sendo uma forma de vislumbrar os compromissos estabelecidos sobre a responsabilidade social em direção à sustentabilidade.

Ao fazer um balanço social, a organização propõe um diálogo com diversos públicos envolvidos, além de governo e sociedade.  

Como ciência, a contabilidade passou a contribuir para a proteção ambiental, pois ela virou o elo entre sistema econômico e meio ambiente. Assim, empresas apresentam seu lado social por meio de Balanço Social, fortalecendo a sua responsabilidade social empresarial!

Importante ressaltar que o Balanço Social não é apenas saber como fazer um relatório social com as ações sociais apoiadas pela empresa. Muito mais do que isso, o Balanço Social de uma empresa  está relacionado ao Planejamento Estratégico. Isso porque, cada vez mais, existe uma preocupação com investimento em ações de Responsabilidade Social Empresarial (RSE) como doações para organizações sociais na comunidade, investimento em ações de benefício para os funcionários , proteção ao meio ambiente etc. E é no planejamento que a empresa define suas estratégias.

Como organizar suas finanças

Organizar e gerenciar as finanças, tanto pessoais como empresariais, sempre foi tarefa complicada. Um dos grandes desafios de como administrar uma pequena empresa é obter eficiência no processo de controle de despesas e investimentos.

Por isso, separamos algumas orientações para controle de gastos da sua empresa:

Separe as Finanças Pessoais do Negócio

Ao misturar as contas, fica mais difícil encontrar quais são os principais gastos do negócio, já que não saberá se são os pessoais ou os oriundos do negócio que estão gerando prejuízos.

Defina uma quantia, que será o seu salário; não use as reservas da empresa para arcar com suas contas pessoais. Isso vai facilitar o seu controle de gastos e na declaração do imposto de renda (IR)

Separe as Finanças Pessoais do Negócio

Um planejamento financeiro sempre é necessário para o controle do seu negócio, pois sempre te ajudará em emergências.

Será preciso organizar as contas a receber e a pagar, bem como definir valores para retiradas pessoais e porcentagens para realização de investimentos.

Para saber como controlar os gastos de uma empresa, você precisa entender quais são suas despesas e como elas funcionam.

Separe as Finanças Pessoais do Negócio

Uma planilha de fluxo de caixa por exemplo, é o controle da movimentação financeira de uma empresa, que leva em consideração as entradas e as saídas de dinheiro sempre por meio de registros detalhados, em um determinado período de tempo.

Com ela você tem o controle do fluxo de caixa diário, mensal e acompanhamento de faturamento, receita e previsões de capital.

Em um primeiro momento, uma planilha de Excel pode parecer mais simples de utilizar, mas quando se tem um grande fluxo de informações para atualizar todos os dias, percebe-se que ela pode não ser a opção mais eficiente.

Além da planilha, há softwares:

As ferramentas e softwares de gestão financeira são uma ótima opção para qualquer empresa que deseje gerenciar seus orçamentos de maneira organizada e simplificada.Os aplicativos de controle financeiro são essenciais para a gestão de empresas de pequeno, médio e grande porte.

Invista em tecnologia

  • Automatize algumas funções;
  • Use inteligência artificial;
  • Aposte em modelos modernos de logística.

Controlar as despesas não é sinônimo de corte de investimentos, pelo contrário, é necessário preparar seu negócio para enfrentar os desafios que o mercado, cada vez mais tecnológico, apresentará.

Com essas ações a empresa consegue reduzir seus custos, ganhando eficiência e agilidade, enquanto verifica a redução no desperdício de matéria-prima e a necessidade de retrabalho.

Por exemplo, muitas empresas agora estão usando sistemas de computação em nuvem em oposição ao hardware interno que pode ser relativamente caro para comprar e manter.

Seja parceiro de seus fornecedores

Um dos itens importantes em saber como controlar os gastos de uma pequena empresa, são os fornecedores.

Negocie com seus fornecedores, obtendo preços mais baixos e melhores prazos. Renegocie com frequência.

Conhecer a concorrência permitirá que você renegocie melhores taxas, reduzindo despesas em sua empresa.

Mantenha seus pagamentos em dia

Mantenha seus pagamentos sempre em dia. Caso haja débitos que você tenha dificuldades em liquidar, procure sempre a renegociação com seus fornecedores.

Os juros cobrados pelos bancos quase sempre são mais prejudiciais ao seu aporte de capital do que qualquer outro investimento.

Acompanhe o rendimento de funcionários e incentive-os

Outro item importante de como controlar os gastos de uma pequena empresa é avaliar seus custos de pessoal.

Sua força de trabalho representa o maior custo fixo da sua empresa, é preciso garantir que cada funcionário esteja dando o retorno desejado, avaliando a produtividade e sempre incentivando e dando o treinamento necessário para atualizá-los e motivá-los.

Gestão contábil

Você deve investir em uma gestão financeira e contábil de alta qualidade.

A escrituração contábil adequada vai deixar sua empresa legalmente amparada, como também vai permitir que o gestor entenda as movimentações das finanças de sua organização, ficando a par das receitas e saídas, de modo que tenha base para tomar decisões estratégicas para o corte de custos desnecessários e aplicações específicas.

Invista em marketing!

Maximize seu orçamento de marketing, empregando estratégias digitais.

Implemente estratégias de marketing mais controladas, concentrando seus esforços de marketing no seu público-alvo. Isso não apenas poupará dinheiro, mas também aumentará as taxas de resposta do cliente, afinal, o mercado hoje está quase 100% digital.

Invista em um banco digital que não cobra taxas

Verificar as taxas cobradas em outros bancos também estão incluídas no pacote de como controlar os gastos de uma pequena empresa. Hoje, os bancos digitais oferecem ótimas propostas para pessoa jurídica, com 0 taxas.

Tenha uma reserva financeira

Se possível, se prepare para imprevistos futuros, eles podem acontecer. Deve-se reservar uma parte do capital e deixá-lo em aplicações de renda fixa ou outro investimento do qual você possa fazer retiradas. Manter controle rígido sobre as despesas ​​é uma parte essencial para o seu lucro e controle financeiro.

Qual a importância do estudo de viabilidade para o seu negócio?

Iniciar um novo negócio é o sonho de muitos brasileiros. Seja para ter ganhos maiores e mais liberdade de trabalho, ou mesmo para construir um negócio que passará por gerações e gerações da família. Muitas dúvidas surgem nesse momento, uma delas é se a ideia inicial tem potencial para se transformar em um grande negócio.

E as dúvidas não param por aí, além de pensar na parte financeira, existem outros detalhes que farão a diferença no sucesso do negócio. Onde implementar? Como decidir se é um bom local? Para sanar essas dúvidas existe uma solução.

Para ser mais assertivo nos primeiros passos, o estudo de viabilidade é elaborado com bastante atenção e cuidado, avaliando a escolha do local e a questão econômica do empreendimento desejado. É preciso lembrar que um bom planejamento é essencial para que um negócio alcance seus objetivos a curto, médio e longo prazo. Para isso, os estudos de viabilidade são de grande ajuda na tomada de decisão.

Podemos separar os estudos em duas grandes áreas do planejamento: a econômica/financeira e a ambiental/locacional. Ambas consideram aspectos importantes para o seu negócio. Neste artigo falaremos mais a respeito das duas, para que você entenda como cada uma pode ajudar no seu empreendimento.

Estudo de viabilidade econômica e financeira

A avaliação da viabilidade econômica e financeira, e a aplicabilidade do negócio, ajuda a obter uma projeção do seu comportamento frente ao mercado, dando uma maior segurança a investimentos, seja em novos empreendimentos ou em empresas consolidadas há anos no mercado.

Além disso, o estudo de viabilidade econômica é capaz de avaliar as condições para que um novo produto, processo ou serviço torne-se lucrativo e ganha sua fatia do mercado consumidor. Muitas empresas encaram as análises matemáticas de forma estratégica para priorizar quais produtos devem ser lançados e quais áreas têm maior potencial para cada segmento de cliente, alcançando assim melhores resultados.

Estudos de viabilidade ambiental e locacional

Nos estudos de viabilidade ambiental e locacional é avaliada são particularidades e características das áreas escolhidas para a instalação de um novo empreendimento ou de uma nova empresa, por isso é um passo importante para quem está começando um negócio próprio.

Diversos fatores devem ser avaliados durante a escolha de um local para a abertura de um empreendimento, tais como: impeditivos ambientais, comunidades do entorno, leis regionais, aspectos socioeconômicos, entres outros. Após a análise desses fatores, é fornecido ao empreendedor a possibilidade de avaliar as melhores alternativas locacionais para que a implementação do novo empreendimento ou empresa seja realizada de forma tranquila e sem surpresas.

Contar com especialistas nos estudos de viabilidade é fundamental para ter dados e resultados mais confiáveis e assertivos. Afinal, todos empreendedores desejam começar seus negócios com o pé direito, não é mesmo? A Contabilidade em Dia possui esse serviço e conta com uma equipe para atender as demandas de cada cliente de forma personalizada e atenciosa, agende a sua consultoria!

4 aplicativos do governo para solicitar serviços e informações

Os aplicativos para solicitação de serviços e informações tem ajudado durante a pandemia a evitar as aglomerações nos atendimentos presenciais. De forma ágil e sem burocracia, é possível consultar e obter mais informações sobre os direitos e deveres do cidadão perante o governo.

Vale destacar que os serviços digitais melhoraram suas funções e usabilidade, ficando mais acessível e intuitivos. Os aplicativos também podem ser baixados gratuitamente tanto para o sistema Android como para o iOS. Separamos 4 aplicativos para você baixar e facilitar o dia a dia!

Meu INSS

Pelo aplicativo do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), é possível consultar serviços sobre aposentadoria, salário-maternidade, auxílio-doença, e ainda tirar extratos de pagamentos e contribuições, agendar perícias e muito mais. Vale a pena ter no celular!

Carteira de Trabalho Digital

Para acompanhar as atividades laborais, o ideal é baixar o Carteira de Trabalho Digital. Nele você tem acesso a dados pessoais e aos seus contratos de trabalho que estão registrados na Carteira de Trabalho e Previdência Social. Também é possível receber informações e dar entrada no seguro-desemprego para trabalhadores dispensados sem justa causa.

FGTS

No aplicativo do FGTS o cidadão pode conferir extratos e saldos de cada conta, além de solicitar o saque digitalmente, acompanhar etapas de processos e fazer upload de documentos.

Meu Gov.Br

Este é um aplicativo que integra diversas funcionalidades, desde informações sobre Microempreendedor Individual (MEI) até o acesso ao e-CAC. Por ele, você também pode realizar a prova de vida obrigatória do INSS.

Os aplicativos surgiram para facilitar a vida do cidadão, sem a necessidade de um contato físico ou da espera em uma fila. Aproveite para baixar os que você precisa para ter informações sempre à mão!

Projeto de Lei pode subir o teto de faturamento para o MEI

Uma novidade pode chegar para quem é MEI ainda neste ano. Foi aprovado no Senado Federal, neste mês de agosto 2021, o Projeto de Lei Complementar que visa ampliar o faturamento máximo anual de quem é Microempreendedor Individual. Ou seja, o teto anual passaria de R$81 mil para R$130 mil.

Uma outra mudança na Lei é sobre a contratação de empregados. Hoje o MEI pode contratar até um emprego, com a mudança passaria para dois empregados, lembrando que é preciso pagar um salário-mínimo ou o piso da categoria.

Atualmente o MEI pode faturar em média R$6.750 por mês para continuar na categoria, se aprovado passará para um limite de R$10.833,33. O valor de R$81 mil entrou em vigor no ano de 2018 e por isso a atualização tem sido considerada. 

Agora o Projeto será avaliado pela Câmara dos Deputados e se aprovado passará para a sanção presidencial. Se você é MEI, fique de olho na novidade!

Novidades das funcionalidades do PIX

O PIX mudou a forma de fazer pagamentos, sendo muito mais rápido que o TED e o DOC, agilizando as transferências entre bancos diferentes. Agora, o Banco Central aprovou novas funcionalidades, uma delas já disponível desde o final de abril: a movimentação do Auxílio Emergencial pelo sistema. Conheça as novidades:

Pix Cobrança: disponível desde o dia 14 de maio, é parecida com o boleto. O usuário pode gerar um QR Code para fazer pagamentos com vencimentos futuros e inserir juros, descontos e multas. A ideia é ter uma maior aceitação dos comerciantes.

Pix Agendado: como acontece com os outros sistemas, a transferência poderá ser agendada para uma data futura. A disponibilidade dessa funcionalidade está prevista para setembro.

Saque Pix: o usuário poderá sacar dinheiro em espécie em estabelecimentos comerciais que aderirem a essa nova funcionalidade, também previsto para o próximo semestre. A proposta é de até 4 saques gratuitos, com limite de R$500 por dia.

O Banco Central continua testando e avaliando novas ideias para aprimorar o sistema, buscando inovações para o PIX. Banco do Brasil, Santander, Bradesco e Itaú já cobram por transferência de PIX de empresas, mas segundo resolução do Banco Central, os EI (empresários individuais) e MEIs (microempreendedores individuais), não poderão ser cobrados. Confira nos valores de cada transferência:

Taxa por transferência:

Itaú: 1,45% do valor pago com tarifa mínima de R$ 1,75 e máxima de R$ 9,60;

Banco do Brasil: 0,99% do valor da transação, com tarifa mínima de R$ 1 e máxima de R$ 10.

Santander: 1% do valor da transação, com tarifa mínima de R$ 0,50 e máxima de R$ 10;

Bradesco: 1,4% do valor da transação, com tarifa mínima de R$ 1,65 e máxima de R$ 9; 

Mesmo com a cobrança para empresas, o PIX ainda possui uma taxa menor que os outros sistemas e cartões de crédito, valendo a pena para as transferências recorrentes do dia a dia.

Recusar a vacinação contra covid pode gerar demissão por justa causa

            No dia 17 de janeiro a Anvisa aprovou o uso emergencial de duas vacinas contra a Covid-19 no Brasil. Porém, muitos brasileiros ainda temem a vacina e dizem que não tomarão quando chegar a sua vez, muitas vezes pautados pelas famosas fake news nos grupos do WhatsApp. Mas, a decisão de não se vacinar pode custar o emprego de muitos.

            É responsabilidade da empresa garantir um ambiente de trabalho seguro e elas podem determinar o uso de máscaras e a vacinação obrigatória. Ao negar o imunizante sem uma justificativa plausível, o trabalhador coloca em risco a vida de outras pessoas e pode ser considerado indisciplinado ou insubordinado, gerando assim a possibilidade de demissão por justa causa.

            Os meios de proteção, como o uso de máscaras e a vacina, são métodos para frear o a doença no país e recusá-los é se abrir para possibilidade de se contagiar e contagiar outras pessoas no ambiente de trabalho, colocando em risco muitas vidas. Segundo o STF (Supremo Tribunal Federal) a vacinação pode ser obrigatória, porém ninguém poderá forçá-la, mas o cidadão que se recusar pode ser impedido de frequentar alguns lugares e ainda pagar multa.

A importância da contabilidade em período de crise

A contabilidade é um pilar fundamental para que uma empresa cresça de forma saudável e estável. Em tempos de crise, como a pandemia que estamos passando, muitos empresários se sentem inseguros com o futuro da empresa. A crise afeta diretamente a economia e as relações com o trabalho. Por isso, um bom contador é o aliado principal para que a empresa passe pela crise.

Em um primeiro momento, um diagnóstico da situação da empresa é imprescindível. Entender os parâmetros pré-pandemia e as perspectivas do negócio através dos dados financeiros e contábeis ajudam na avaliação dos impactos presentes e futuros. Empresas que possuem inadimplências, desorganização do fluxo de caixa, documentações contábeis em atraso, precisam se reestruturar para passar pela crise.

Um contador experiente sempre está bem informado com as novas normas e medidas provisórias oficializadas pelo governo que possam ajudam sua empresa. Linhas de crédito especiais podem dar um respiro maior para continuar no mercado, além de um bom planejamento e uma gestão financeira efetiva. Seu contador de confiança pode ajudar o seu negócio a se adaptar ao novo cenário e reestruturar a empresa, implementando e aprimorando os processos. O trabalho do contador vai muito além de cálculos e documentação, ele também atua como um consultor de negócios para entender como sua empresa tem funcionado e como melhorar cada aspecto do negócio.

 Na Contabilidade em Dia você tem contadores experientes e dispostos a ajudar sua empresa a passar por esse momento, buscando novas soluções e mantendo a saúde financeira em dia.

Nova resolução para o MEI em Setembro

Entra em vigor, agora em setembro, a Resolução nº 59 do CGSIM que visa desburocratizar a abertura de novos negócios como MEI. O normativo já foi publicado no Diário Oficial da União e permite o início dos negócios sem exigências de alvarás, licenças de funcionamento e taxas.

O MEI estará isento das obrigações publicadas através de um Termo de Ciência e Responsabilidade de Dispensa de Alvará de Licença de Funcionamento. Porém, há algumas regras exigidas pela prefeitura do município e pelo estado a serem seguidas para conseguir a dispensa. Tais regras envolvem questões sanitárias, ambientais, atividades domiciliares, tributárias, restrições de espaço público, de segurança pública, além de uma autorização para inspeção futura do local de exercício das atividades. Ainda há a fiscalização do cumprimento dos requisitos para a dispensa, mas o empresário não precisará aguardar a visita do fiscal para iniciar o seu negócio. O não cumprimento das exigências pode levar ao cancelamento da dispensa.

A desburocratização tem como objetivo a movimentação da economia, a formalização e o crescimento dos negócios criados por microempreendedores individuais. O MEI tem direito a contratar um funcionário, e precisa respeitar o teto máximo de R$81 mil de faturamento por ano. Com um pagamento fixo mensal, que varia de R$53,25 a R$58,25, também tem direitos previdenciários garantidos. Em um formulário simplificado, o microempreendedor deve registrar o total de suas receitas mensalmente.

Se tem alguma dúvida se o seu negócio se encaixa como MEI ou em outra modalidade, entre em contato conosco pelos telefones (17) 3524-4941 e (17) 99606-0313. Oferecemos o serviço de estudo de viabilidade que pode te ajudar!

Pronampe: saiba como solicitar crédito para micro e pequenas empresas

Desde que o COVID-19 se espalhou pelo planeta, muitas empresas têm se visto em momentos de crise e sofrido para fechar as contas ao final do mês. Mas, manter o caixa no azul é possível com o Pronampe (Porgrama de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte), uma espécie de linha de crédito para micro e pequenas empresas.

Desde o último dia 16 de junho, esta nova linha de crédito está valendo e oferecerá empréstimos com limites de até 30% da receita anual de 2019. Mas, você sabe como funciona o Pronampe e como solicitar o crédito? Confira!

O que é o Pronampe?
O Pronampe (Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte) é um programa criado pelo Governo Federal, com o objetivo de auxiliar microempresas e empresas de pequeno porte e está instituído pela Leia de nº 13.999, de 18 de maio de 2020.

Como funciona o Pronampe?
O crédito pode ser utilizado para investimentos e capital de giro isolado ou associado ao investimento, como adquirir máquinas e equipamentos, realizar reformas ou para despesas operacionais, como pagamento de salário de funcionários, pagamento de contas como água, luz, aluguel, compra de matérias-primas, mercadorias, etc, com o prazo máximo de pagamento de 36 meses.

Quem tem direito ao Pronampe?
O programa do Governo Federal foi criado com objetivo de ajudar MEI com renda bruta anual de até R$ 81 mil, microempresas com renda bruta anual igual ou inferior a R$ 360 mil e empresas de pequeno porte com renda bruta anual de até R$ 4,8 milhões.

A taxa de juros anual do Pronampe é equivalente à Selic, ou seja, mais de 1,25% ao ano, com um período de reembolso de até 3 anos, com uma carência de 8 meses para inciar o pagamento do financiamento.

No entanto, como o crédito do programa pode ser usado para pagar salários, os funcionários da empresa não poderão ser demitidos até que o último pagamento seja feito.

Como solicitar crédito ao Pronampe?
Para solicitar crédito ao programa do governo, basta acessar a GiroCaixa Pronampe, no site da Caixa e preencher um formulário. Após este processo, um gerente que atende a sua região deverá entrar em contato para dar sequência no andamento do pedido.

Precisa de ajuda com as finanças do seu negócio? Entre em contato com a Contabilidade em Dia para uma consultoria ou planejamento estratégico para te ajudar a sair dessa crise que o país vivencia da melhor forma. Estamos disponíveis pelos telefones (17) 3524-494 ou 99606-0313.⠀⠀